Histórico « Pró-Vocações e Missões Franciscanas – Província Franciscana da Imaculada Conceição
Highslide for Wordpress Plugin


Histórico

No Brasil, os frades menores vieram com os descobridores, quando Frei Henrique de Coimbra celebrou a Primeira Missa nesta Terra de Santa Cruz. Mais tarde, depois da estabilização definitiva dos frades, criou-se a primeira Província do Brasil, a de Santo Antônio, de onde nasceu, no dia 15 de julho de 1675, a Província da Imaculada Conceição do Brasil, da qual fazemos parte.

A nova Província, contudo, passou por momentos difíceis, como em 1764, quando o Marquês de Pombal proibiu a admissão de noviços. Em 1777, Pombal caiu e os franciscanos voltaram a receber noviços. Mas em 1855, uma nova proibição deixou a Província com apenas um frade: Frei João do Amor Divino Costa, que residia no Rio de Janeiro.

Foi então que, em 1891, a Província Santa Cruz da Saxônia, na Alemanha, veio em socorro dos brasileiros. Chegaram a Santa Catarina os missionários Frei Amando Bahlmann, Frei Xisto Meiwes, Frei Humberto Themans e Frei Maurício Schmalor. Esta Província alemã enviou 206 franciscanos, entre religiosos e seminaristas, para restaurarem a Província de Santo Antônio e a da Imaculada Conceição.

Como se estrutura a Província
Situada geograficamente no eixo Sul-Sudeste do Brasil – Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo – e na Missão de Angola, a Província da Imaculada Conceição é formada por 55 fraternidades. Todas as nossas atividades evangelizadoras estão distribuídas em casas de formação, paróquias, santuários, colégios, meios de comunicação, serviços sociais e missões.

Das sementes aos frutos
O Pró-Vocações e Missões Franciscanas da forma como o conhecemos hoje, completa neste ano de 2016 30  anos de história, contudo a primeira semente já tinha sido plantada em 1976 no convento Santo Antônio, no centro do Rio de Janeiro. A iniciativa nasceu da sensibilidade do coração de uma terceira franciscana, Maria Arietta, e de Frei Floriano Surian, que sentiram a necessidade e a corresponsabilidade de fomentar a vocação religiosa, de forma prática, angariando recursos para ajudar seminaristas carentes. Os dois iniciam seu projeto através da venda de cartões desenhados por Frei Floriano, contudo, com o tempo as pessoas passaram a dar donativos também para as vocações.

Através da experiência do Rio de Janeiro, Frei Alberto Esteves apresenta o serviço a Província bem como a possibilidade de ampliar para os outros estados. Em 1986 é criado então, o Pró-Vocações Franciscanas com a missão de divulgar o carisma e a espiritualidade franciscana, angariar recursos para a sustentabilidade dos seminários e a formação dos frades estudantes.

Com o tempo, frei Alberto sente a necessidade de alguém que esteja dedicado exclusivamente a este trabalho, a Província então nomeia como coordenador frei Reynaldo Ameixeira para o Pró-Vocações e com o tempo também vieram frei Edrian Pasini e frei Antônio Andrietta.

Frei Reynaldo se mostra um grande empreendedor, de sua arte e dedicação surge o uma pequena lojinha chamada VOFRAN, produzindo materiais devocionais e vocacionais. Em 1987 lhe vem uma de suas grandes inspirações: a feira de Santa Clara. Todos os seminários participavam trazendo produtos feitos por eles: linguiça, mel, compotas, biscoitos, vinhos.

O Pró-Vocações se torna um grande aliado da animação vocacional, seja na confecção de materiais, seja no apoio financeiro, e o animador vocacional se torna um membro da equipe, primeiro Frei Paulo Back substituído a partir de 1990 por Frei Severino Clasen. Neste mesmo ano damos inicio a exposição de presépios e a feira de natal, a repercussão é tão positiva que começa a se tornar uma tradição.

Em 1991, o Pró-Vocações ganha um grande reforço Frei Mário Luiz Tagliari, que vem participar e fortalecer a equipe ao lado de Frei Reynaldo e Frei Severino.

O projeto cresceu e precisava de espaço para se organizar, por isso em 1993 é celebrada a bênção das novas salas do Pró-Vocações Franciscanas, agora no térreo do convento São Francisco de Assis, dando condições de acolhermos cada vez melhor nossos benfeitores.

Com a saída de Frei Reynaldo, o Pró-Vocações precisava de reforço, o qual ocorreu em 1995 com a vinda de Frei Atílio Abati. Ele logo assumiu uma tarefa importante de zelo e cuidado aos benfeitores: responder às numerosas cartas que nos chegam. Papel este desempenhado com carinho por ele.

A Província em 1997 solicita ao Pró-Vocações que trabalhe também em prol das missões. Sendo assim, passa-se a chamar: Pró-Vocações e Missões Franciscanas. Frei Atílio Abati foi eleito animador das missões, com o objetivo de ser um elo entre a missão em Angola e o Brasil, bem como percorrer as comunidades apresentando o trabalho missionário. Um sonho teve condições de se concretizar em 1999, reunir um grande numero de benfeitores para um momento de troca de experiências e religiosidade. Nascia o primeiro retiro de benfeitores no seminário Santo Antônio em Agudos.

Em 2003, com uma nova equipe, Frei Airton da Rosa Oliveira e Frei Marcos Melo, começamos a intensificar nossa presença em vários estados, através de Romarias, cursos de espiritualidade e retiros.

A nova reformulação da equipe do Pró-Vocações, teve o retorno de Frei Atílio Abati, Frei Paulo Back em 2006 e o reforço de Frei Volnei em 2007, este período foi marcado pela retomada das visitas a todas as comunidades franciscanas, bem como a implantação de um projeto pensado por frei Reynaldo: os elos de união (representantes do PVF em suas comunidades). Neste mesmo período houve uma grande parceria com o Seminário Frei Galvão, com o intuito de transformá-lo em um espaço franciscano de acolhida aos romeiros que vinham conhecer o nosso primeiro santo do Brasil: Santo Antônio de Sant’Ana Galvão.

Hoje a equipe do Pró-Vocações tem como membros Frei Alvaci Mendes da Luz, Frei Alexandre Rohling e Frei Diego Melo, com a missão de recolher os frutos e semear para as futuras gerações.

Fundamentos do PVF

O Pró-Vocações e Missões Franciscanas é um projeto de relacionamento entre as comunidades de fé e a vida religiosa; buscando perpetuar a presença franciscana. Os franciscanos participam nas comunidades, no atendimento espiritual e social, como testemunhas do Cristo.

Este trabalho consiste em apresentarmos às comunidades a co-responsabilidade de formar e preparar os futuros franciscanos, e convidar seus membros para participar e contribuir com a formação dos jovens que no futuro, estarão junto às comunidades assumindo a missão evangelizadora, motivados pelo trabalho apostólico e missionário dos franciscanos e seu modo de vida. Hoje buscamos cada vez estar mais perto dos benfeitores, seja em nossos encontros, retiros, romarias, boletins, cartões e cada vez mais através das mídias sociais. Nossa intenção é transformar estes momentos em momentos que fortaleçam nossa fraternidade entre nossos benfeitores e nós frades.