Primícias de Frei Marcos Vinicius em Juiz da Fora « Pró-Vocações e Missões Franciscanas – Província Franciscana da Imaculada Conceição
Highslide for Wordpress Plugin

Artigos, Destaque 3, Notícias › 30/04/2018

Primícias de Frei Marcos Vinicius em Juiz da Fora

primeira_missa_290418_p

Frei Augusto Luiz Gabriel

Juiz de Fora (MG) – Frei Marcos Vinicius Motta Brugger, ordenado sacerdote no último dia (28/04), pelo Arcebispo Dom Gil Antônio Moreira, celebrou neste 5º Domingo da Páscoa (29/04), às 9h30, sua Primeira Missa, na Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Juiz de Fora (MG). A igreja ficou pequena e lotada de fiéis que marcaram presença e participaram deste momento histórico e único na vida de Frei Marcos e da comunidade. Frei Paulo Roberto Pereira, filho desta terra, foi o pregador e desejou ao neopresbítero: “Continue a ser sinal da alegria franciscana e da amizade, virtudes que trouxeram em caravana as pessoas que viajaram quase um dia inteiro de Pato Branco até aqui. Virtudes que deverão ser a marca da sua viajem de serviço e de missão que começa hoje aqui e terá seu termo no céu”.

Frei Marcos presidiu a celebração tendo como concelebrantes o delegado do Ministro Provincial e Definidor, Frei Paulo, o pároco Pe. Antônio Eduardo, Frei Olivo Marafon, Frei Neuri Reinisch, Frei Diego Melo, Frei Alan Maia, Frei Vanderlei da Silva Neves e os diáconos Frei Evaldo Ludwig, Frei Marx Rodrigues dos Reis e Frei José Raimundo. Frei Marcos conduziu a celebração de forma leve, com devoção e segurança.

Como é de costume na Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, o novo presbítero não faz a homilia, e sim, convida um confrade que marcou a sua trajetória e história de vida para proferir a mesma. Frei Marcos convidou seu conterrâneo Frei Paulo, que atualmente é guardião e reside no Convento da Penha, no Espírito Santo (ES).

VENHAM COMIGO QUE FAREI DE VOCÊS PESCADORES DE HOMENS

primeira_missa_290418_6 “Ainda temos presente na memória as fraternas palavras do Arcebispo. Palavras que indicavam a grandeza e a beleza do ministério dos presbíteros. Sendo um bom franciscano, Frei Marcos será um bom padre; sendo um bom padre, será um bom franciscano”, lembrou Frei Paulo no início de sua homilia. “No início dessa semana foi publicada uma linda entrevista sua na página dos Franciscanos na internet. Ali você, com muita clareza, apresenta as motivações da vocação do ministro ordenado. Sua fala recorda os ensinamentos de São João Crisóstomo, Santo Agostinho e São Francisco que apontam para a dignidade sem par da Eucaristia. Ao mencionar São Francisco e sua admiração pelo serviço prestado pelo sacerdote, que traz a todos a dádiva maior, você recorda que a Eucaristia mescla grandiosidade e simplicidade: Deus se dá em comida e bebida para nos salvar. E citando Santo Agostinho, você nos lembra que os sacerdotes são  Ministros de Cristo, servidores de Cristo. Assim, o ministério sacerdotal, é serviço. Ser padre é colocar-se à disposição, é não reter nada de nós para nós mesmos, a fim de que totalmente nos possua aquele que totalmente se nos dá”, retomou Frei Paulo.

Segundo Frei Paulo, certa ocasião, ele ouviu de um professor de liturgia que homilia significa “conversa familiar”, por isso propôs agora uma conversa com jeito de encontro de família, encontro de irmãos. “Encontro de família em festa. Festa da sua família: saudação à dona Sandra, seu Maurício e seu irmão. Festa da sua família construída na fé: saudação ao Padre Antônio Eduardo e ao povo desta Paróquia que acolheu os missionários franciscanos com afeto sem igual nestes dias que antecederam a ordenação. Família paroquial que se orgulha por ter gerado vocações a serviço do Reino e, hoje se orgulha mais ainda por ter acolhido, pela primeira vez em 118 anos, uma celebração de ordenação. Festa da sua família, da nossa família por vocação, a família franciscana: saudação a Frei Neuri, guardião da fraternidade de Pato Branco, chão da sua missão e serviço. Festa de todos nós que somos, pelo batismo, irmãos e irmãs, povo de Deus a caminho do Reino definitivo. Festa de todos nós que cremos que a vida se enche de sentido quando buscamos ouvir o que Deus tem a nos dizer e quando nos dispomos a servir aos mais necessitados”, acrescentou.

primeira_missa_290418_1

“Prometi a mim mesmo que não mencionaria nossa afinidade no que diz respeito à escolha pelo Botafogo; acho que não combina com uma ocasião tão solene mencionar que torcer pelo Botafogo é fazer como fizeram os reis magos quando desejaram conhecer Jesus. Eles perguntaram com ansiedade: Como vamos achar o Salvador nascido em Belém: sigam a Estrela… Pronto. Mas hoje não é dia desses assuntos”, brincou o Definidor.

E continuou: “O lema da ordenação é aquela frase que, como farol, oferecerá luz ao seu caminhar; uma inspiração que, como fonte, alimentará constantemente seu desejo e sua determinação: ‘Venham comigo que farei de vocês pescadores de homens’. A primeira vez que vi seu lema, recordei uma dificuldade da infância. Diante da proposta de Jesus, ‘farei de vocês pescadores de homens’, confesso não me era confortável imaginar pessoas presas nas redes ou agarradas em anzóis, sendo colocadas nos barcos ou arrastadas até à praia”.

primeira_missa_290418_4

Para Frei Paulo, infelizmente, a imagem de gente sendo pescada continua a gerar incômodo, mas hoje se aplica, sobretudo quando vemos o resgate de tantos africanos que, levados pela última gota de esperança, se lançam ao mar em precárias embarcações para fugir da fome e da guerra e alcançar vida digna nos países brancos e ricos. “Alguém já teria dito que, ao invés de terra, nosso planeta deveria chamar-se água. Nossa Casa Comum contém algumas porções de terra cercada de mar por todos os lados. O mar envolve a terra. Quando da criação, o Senhor faz a terra surgir das águas. O mar, portanto, é gerador de vida. Para nós que tivemos o privilégio de nascer aqui nas terras da Inconfidência, terras do ouro e do minério, pra nós que trazemos no íntimo o dom de amar as montanhas, o mar atrai e gera encantamento. Para o povo da Bíblia, o mar podia trazer o alimento e o sustento; em torno dele se organizaram muitas cidades e se estabeleceu o progresso. Além disso, o mar guardava seus segredos que produziam medos e incertezas. O mar retinha o desconhecido o obscuro; suas profundezas podiam guardar destruição e morte”, disse o frade pregador.

IR COM O SENHOR E ESTAR COM ELE

Segundo Frei Paulo, Jesus decide iniciar o anúncio do Reino. Dando continuidade à pregação de João Batista dizia: “O tempo está cumprido, e o Reino de Deus está próximo; arrependam-se e creiam no evangelho”. Jesus vai à beira da Praia e avista os filhos de Zebedeu, Tiago e João. É o encontro do filho do carpinteiro com os filhos do pescador. Esses conhecedores dos tempos e das marés dos peixes e do mar; o primeiro profundo conhecedor das manhas e manhãs que se repetem e dão sabor ao coração humano.  Os irmãos espertos em pescados, Jesus especialista em humanidade. Então, diz o texto bíblico, deixaram imediatamente as redes e o seguiram. “Chamo a atenção ao advérbio que destaca o modo como o fizeram: imediatamente, sem mediações, sem talvez, sem porquês, sem reservas… Sabe por quê? Porque não há outra atitude possível diante do convite do Mestre. Quando encontramos o tesouro escondido no campo, ou a pérola mais preciosa, quando nos encontramos com a proposta do Reino de Deus, nada mais enche nossos olhos, nada mais atrai nosso desejo, senão a fraternidade e a justiça, a liberdade e a paz, para nós e mesmos e, sobretudo, para os que vivem na ignorância e no medo”, afirmou.

primeira_missa_290418_2

E continuou afirmando que ao acolher a palavra de Jesus os pescadores de Genesaré manifestam claramente seu entendimento. Mostram-se dispostos a resgatar do mar da ignorância e do medo os homens e mulheres que ainda não conheciam a palavra que liberta. Revelam-se empenhados em oferecer suas vidas e lançar as redes até em águas mais profundas.

“Eles, certamente eram bons pescadores, conheciam os segredos da profissão familiar e podiam estar seguros da tarefa a eles atribuída. Caro Marcos, meu irmão, esteja certo, a convicção que estimulou o sim dos pescadores de Tiberíades não nasceu apenas das suas reconhecidas habilidades pesqueiras. Eles podem deixar barcos, família e trabalho porque nada disso importa porque ao apontar a missão dada o Mestre antes diz: “Venham comigo”. Essa primeira parte do chamado é decisiva. Essa parte é que sustenta o sim dado. Ir com o Senhor. Estar com Ele. As leituras escolhidas para este 5º Domingo da Páscoa, apresentam caminhos seguros para estarmos com o Senhor. Estar  na presença do Senhor e cultivar intimidade com ele. Cultivar intimidade com ele para ter no nosso coração os mesmos sentimentos do Mestre de Nazaré. Ter no nosso coração os mesmos sentimentos e poder agir como ele agiu, escolher estar ao lado daqueles que ele escolheu. Entregar a própria vida, como ele livremente escolheu”, desejou.

É NECESSÁRIO ESCOLHER, ELEGER, FAZER OPÇÃO

Dirigindo-se a Frei Marcos, disse: “Ao ouvir o apelo do Mestre você, como os discípulos à beira do mar, se dispôs a fazer-se pescador de gente. Para ser pescador no mar, devemos entender de mar. Para pescar nos rios e lagos, devemos observar as curvas, profundidades e segredos desses. Para ser pescador de gente, será necessário conhecer a humanidade na sua profundeza. Para conhecer é preciso estar junto. Aqui se repete o ditado que atesta: para conhecer alguém devemos comer um saco de sal com esta pessoa. O conhecimento leva tempo; exige dedicação e empenho. Para conhecer, como Jesus conhece, para conhecer como irmã que é o projeto de São Francisco, é necessário escolher, eleger, fazer opção”, acrescentou.

primeira_missa_290418_3

Para Frei Paulo Roberto, a simplicidade, virtude tão cara a São Francisco é caminho de auto conhecimento, é caminho de mútuo conhecimento, é caminho de conhecimento do Reino de Deus. “A confiança, em Deus por primeiro, em seus próprios sonhos e, especialmente, a confiança fraterna nos conduz com segurança ao conhecimento do Reino de Deus. A gratidão, tão bem expressa por suas palavras na celebração de ontem, deve sempre reger os passos dos que buscam conhecer o Senhor e seu santo modo de operar. A gratidão só é possível nos corações livres. O soberbo basta-se a si mesmo, por isso não consegue ser grato. A Gratidão nos aproxima dos irmãos, das irmãs, de todas as criaturas; a gratidão nos aproxima de Deus”, ressaltou.

“Caro irmão, Frei Marcos, cultive e ajude-nos a cultivar a simplicidade, a confiança e a gratidão, todos os dias, desde a hora que acordar até a hora quando se recolher ao descanso. Continue a ser sinal da alegria franciscana e da amizade, virtudes que trouxeram em caravana as pessoas que viajaram quase um dia inteiro de Pato Branco até aqui. Virtudes que deverão ser a marca da sua viajem de serviço e de missão que começa hoje, aqui e terá seu termo no céu”, pediu o pregador.

AGRADECIMENTOS

Após o rito da Comunhão, o Pároco dirigiu a comunidade local palavras de agradecimento pelo engajamento e realização da ordenação de Frei Marcos. Frei Neuri também agradeceu a todos e em especial ao neopresbítero por fazer a diferença na fraternidade onde residem juntos com mais quatro frades. “Em nome do Conselho paroquial da Paróquia São Pedro Apóstolo, queremos entregar uma singela lembrança, tendo em vista que seu aniversário é amanhã (30/04)”.

primeira_missa_290418_5

Frei Leandro Costa Santos seu confrade de turma desde o ano de 2005, também proferiu palavras de incentivo e de gratidão ao novo padre. “Hoje nos alegramos com Marcos Vinicius, por esse seu sim que é uma graça e compromisso. De nossa parte receba a nossa amizade e saiba que esse seu sim é também nosso pela amizade e pela fraternidade”, completou.

VEJA MAIS IMAGENS DA 1ª MISSA DE FREI MARCOS